Jogadores do Furacão acreditam que a sorte mudou no Brasileirão

O lateral Sidcley destacou o empenho do grupo até o último minuto

Ribamar marcou seu primeiro gol em dois jogos pelo Rubro-Negro (Fabio Wosniak/CAP)

O Atlético Paranaense acabou com seu jejum e, após oito jogos, fez as pazes com a vitória ao bater o Vasco da Gama por 1 a 0, em Volta Redonda, deixando a zoa de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O lateral Sidcley destacou o empenho do grupo até o último minuto, contando ainda com a sorte quando a bola vascaína bateu duas vezes na trave e não quis entrar.

“Nos superamos até o final. Tivemos competência no jogo e seria um pecado entrar essa bola”, disse o jogador, que já projeta uma sequência de bons resultados para finalmente embalar na competição. “É bom vencer fora de casa. Agora é pegar o Avaí em casa e somar, porque em casa a gente não pode mais falhar”, emendou.

Ainda sobre o lance de período, já nos acréscimos, ao atacante Pablo acredita que é um sinal de que as coisas começaram a mudar. “A sorte começou a mudar. Precisávamos vencer. Oito jogos que não vencíamos e foi na base da superação. Fomos felizes. E ainda teve as bolas na trave, que não sei como não entrou. Se fosse alguns jogos atrás ela entrava”, avaliou.

Elogiando o treinador, que conseguiu seu primeiro triunfo pelo Furacão, o zagueiro Paulo André garante que, a partir de agora, o time vai buscar um lugar que merece na tabela. “Felizmente depois de algum tempo sem vencer a gente está retomando. Duas mudanças de comando em pouco tempo. O Fabiano (Soares) é o menos culpado, está conhecendo o grupo de trabalho. E a gente sabe que a equipe vai crescer na competição. Vamos ter paciência. Não é o lugar que o Atlético queria estar. Mas, no segundo turno, a gente vai crescer”, finalizou.