La Liga recusa depósito por Neymar, e advogados tentam solução jurídica

Representantes do craque vão à sede da Liga Espanhola, em Madri, não conseguem efetuar depósito de € 222 milhões.

Todos os focos estão em Neymar (Foto: Getty Images)

O presidente da Liga Espanhola, Javier Tebas, cumpriu o que havia prometido: recusou o dinheiro da multa rescisória de Neymar. Após receberem o cheque do Paris Saint-Germain, os advogados do craque foram à sede de “La Liga” em Madri na manhã desta quinta-feira para depositar os 222 milhões de euros (cerca de R$ 820 milhões), conforme apurou o GloboEsporte.com, mas a entidade recusou o pagamento e adiou a “liberdade” do brasileiro, que quer se transferir do Barcelona para o PSG. Os advogados agora executam um plano B para tentar resolver a questão nas próximas horas.

Perguntados sobre o motivo da recusa no pagamento da cláusula, representantes da Liga Espanhola não deram maiores explicações e preferiram se calar. Um dos envolvidos no caso de Neymar é o renomado advogado brasileiro Marcos Motta, que representa o jogador há bastante tempo e está em Madri. Os advogados tratam o tema como questão jurídica e esperam solucionar o problema ainda nesta quinta. Vale lembrar que é La Liga quem recebe o pagamento pelas transferências de jogadores na Espanha e repassa para os clubes, neste caso o Barça.

Na últimas semana, as cifras envolvendo a transferência de Neymar trouxeram à tona novamente a discussão em torno do Fair Play Financeiro – conjunto de normas impostas pela Uefa para evitar gastos astronômicos em contratações. No dia 28 de julho Javier Tebas também havia ameaçado denunciar o Paris Saint-Germain caso a negociação fosse adiante.

Segundo o jornal Marca, da Espanha, a Liga Espanhola não poderia bloquear a saída de Neymar, uma vez que a cláusula de rescisão estaria sendo cumprida. Assim, é possível que a Fifa seja acionada e dê uma permissão provisória para a realização do negócio. Apesar da justificativa, o Fair Play Financeiro só poderia ser analisado pela Uefa e aplicado ao fim da janela de transferências, no dia 31 de agosto.