Brigada Escolar já beneficiou 5,8 milhões de pessoas no Paraná

Iniciativa do Governo do Estado, inédita no País, o programa prepara a escola para agir em situações de emergência.

Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Treinamento de Brigadista no Colégio Estadual Yvone Pimentel para funcionários de Colégios Estaduais da SEED e NRE . 09-11-17. Foto: Hedeson Alves/SEED

Mais de 5,8 milhões de pessoas, entre professores, estudantes, funcionários e pais de alunos já foram beneficiadas, direta e indiretamente, pelo programa Brigada Escolar – Defesa Civil na Escola. São pessoas alcançadas pelas ações que garantem mais proteção e seguranças nas escolas estaduais do Paraná.

Iniciativa do Governo do Estado, inédita no País, o programa Brigada Escolar capacita a comunidade de escolas da rede estadual para agir em situações de emergência. Desde que foi criado, em 2012, metade das 2,1 mil escolas estaduais já receberam o Certificado de Conformidade emitido pela Coordenação do Programa de Brigada Escolar. Mais de 35 mil profissionais da educação já receberam o treinamento.

Nesta quinta-feira (09), 50 profissionais que atuam nas escolas da capital, Núcleo Regional de Educação e na sede da Secretaria Estadual da Educação participaram da capacitação realizada no Colégio Estadual Yvone Pimentel. Os brigadistas receberam treinamentos de primeiros socorros e prevenção e combate de incêndio. O curso foi dividido em duas etapas: teórica na parte da manhã e prática no período da tarde.

Hoje, todas as 163 escolas da capital possuem equipes de brigadistas treinadas para atuar em situações de emergência. A brigadista Elizete Fragoso da Cruz, do Colégio Estadual Etelvina Cordeiro Ribas, participou do treinamento em Curitiba. “Com essas etapas do treinamento fico mais confiante, pois sei como agir da maneira correta em situações que possam acontecer na escola e no nosso cotidiano”, contou Elizete.

Para Adriana Kampa, diretora do Colégio Estadual Yvone Pimentel, o treinamento deixa os estudantes, funcionários e familiares mais tranquilos. “Sabemos que a escola conta com equipe preparada para trabalhar com essas situações”, afirmou ela. “Saber como agir, sair do ambiente em segurança é fundamental em casos de emergência”, disse Adriana.

SINALIZAÇÃO E EXTINTORES – Cada escola onde o programa foi implantado possui um grupo de três a oito brigadistas treinados para agir em situações de emergência.

Para obter o certificado, além do grupo de brigadistas, a escola precisa garantir a instalação de sinalização e luzes de emergência, ter o número adequado de extintores de incêndio e simulações de abandono do prédio escolar uma vez por semestre.

A capacitação dos brigadistas é dividida em 60 horas, com cursos a distância e oito horas presenciais de atividades teóricas e práticas. Além do treinamento, também é realizado uma vez por semestre a simulação do plano de abandono em caso de incêndio.

VISTORIA – Mesmo com o documento de conformidade da Defesa Civil, a escola precisa ter o certificado de vistoria do Corpo de Bombeiros. Para obter o documento a unidade de ensino necessita do Plano de Segurança Contra Incêndio e Pânico, que consiste em vistoria sempre que a escola realizar alguma modificação estrutural.

Além dos brigadistas, as escolas recebem um conjunto de equipamentos com extintores, lâmpadas de saída de emergência e placas reflexivas que indicam a rota de fuga em caso de incêndio para todas as escolas.  A substituição e a manutenção desse material são de responsabilidade da escola e deve ser feito com recursos do Fundo Rotativo.

CULTURA DA PREVENÇÃO – O programa Brigada Escolar – Defesa Civil na Escola tem como objetivo construir a cultura de prevenção de acidentes nas escolas estaduais e prédios públicos estaduais. O programa oferta a formação de brigadas escolares em todas as escolas e a adequação dos prédios escolares às normas de prevenção contra incêndio e pânico.