Enfermagem discute saúde materno-infantil

Nesta sexta, participarão de uma gincana beneficente para arrecadar alimentos para instituições carentes

Professores, alunos e convidados participam da Semana da Enfermagem que se encerra nesta sexta Foto: Assessoria

O curso de Enfermagem da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) promove até esta sexta-feira, 11, a XIV Semana de Enfermagem, junto à 2ª edição do Encontro Sobre Saúde Materno-Infantil do Norte do Paraná, no Auditório Thomaz Nicoletti Campus Luiz Meneghel, em Bandeirantes.

O objetivo do evento é discutir as políticas públicas no âmbito da saúde da mãe, do feto, as consultas pré-natal e o atendimento ao recém-nascido, associado à atividade profissional da Enfermagem em todos os âmbitos nos quais se relaciona com a saúde materno-infantil. A cerimônia de abertura, realizada na quarta-feira, 9, contou com a participação de duas palestrantes e da Bateria “Percuchão”, do CLM.

Durante as solenidades do evento, a reitora da UENP, Fátima Aparecida da Cruz Padoan, recebeu homenagem do curso de Enfermagem, entregue pela coordenadora da Semana, professora Carina Bortolato Major. “Nós, da comunidade acadêmica, temos observado sua superação, tanto nos desafios enfrentados e nas vitórias conquistadas em relação a sua própria saúde, quanto a sua inserção profissional de destaque na Universidade, na representação da UENP no Estado do Paraná e ainda na Unidade Federativa, quando, muitas vezes, esteve em Brasília para angariar recursos e estabelecer parcerias em prol do crescimento da nossa Universidade e do curso de Enfermagem”, afirma.

“Professora Fátima, esta garra, atitude e trabalho incansáveis a enobrece ainda mais como pessoa, mulher e profissional, e isso nos remete ao empoderamento feminino e reconhecimento da mulher no mercado de trabalho, o qual desejamos a todas as mulheres, visto que o trabalho é uma das razões para a Saúde da Mulher”, frisou.

A reitora, por sua vez, destacou o trabalho humanizado dos profissionais de Enfermagem dentro da saúde. “Quando precisei, fui tratada por profissionais que mostraram que a saúde é sim conhecimento técnico e científico, mas que além disso, também é feita por seres humanos que estão lá para amparar”, ressaltou. “É com muita emoção que recebo esta homenagem. Agradeço imensamente esse carinho do curso de Enfermagem da UENP”, finalizou a reitora.

Requisito mínimo para qualquer país

A participação científica inicial foi da professora Emiliana Cristina de Melo, doutora em Enfermagem pela UEM. “A mortalidade materna e infantil é um dos principais indicadores da saúde de um país. Empresários do mundo todo, e até mesmo do Brasil, analisam estes dados antes de investir em negócios em um lugar com uma grande mortalidade. Se esse indicador andar alto, é sinal de que a saúde do local, como um todo, não anda nada bem”, destaca.

Atividades

Além das palestras, os acadêmicos irão apresentar trabalhos científicos voltados a Trabalhos de Conclusão de Curso, Iniciação Científica, Projetos de Extensão e Revisão de Literatura, possibilitando reflexões sobre a profissão. Na sexta, participarão de uma gincana beneficente para arrecadar alimentos para instituições carentes.