Norte Pioneiro formaliza SRI e elege diretoria

Eleição será realizada na próxima sexta-feira (18) na sede do Sebrae/PR, em Jacarezinho

Governança, formada por representantes de 30 entidades, reúne-se quinzenalmente Foto: Divulgação

Criado para promover o desenvolvimento territorial por meio do fomento à tecnologia e inovação, geração de novas oportunidades de emprego e renda, e atração de investimentos, o Sistema Regional de Inovação do Norte Pioneiro (SRI) será formalizado em uma associação. O trabalho da governança, composta por representantes de 30 entidades, como Sebrae/PR, Senai, instituições de ensino superior, associações comerciais, prefeituras e empresários, foi iniciado em 2015.

A eleição da primeira diretoria está marcada para a próxima sexta-feira (18), a partir das 9 horas, na sede do escritório do Sebrae/PR, em Jacarezinho, na rua Cel. Figueiredo, 749. O consultor do Sebrae/PR, Odemir Capello, diz que a formalização é necessária porque a rede já perdeu algumas oportunidades de captação de recursos e parcerias pela falta de uma identidade, um Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ). “A governança deu tão certo que agora será formalizada para ampliar os benefícios ligados à inovação no Norte Pioneiro”, afirma.

Com um CNPJ, o SRI poderá buscar patrocínio para eventos, fazer parcerias, participar de editais e captar recursos. “No ano passado, poderíamos ter trazido um patrocínio de valor considerável para o Geniuscon, mas não conseguimos porque não tínhamos quem recebesse esse dinheiro”, aponta. Na avaliação de Capello, a sobrevivência do SRI depende da formalização.

Apesar de a associação ter diretoria, sócios e um conselho, o consultor explica que o sistema atuará de forma colaborativa. “A inovação passará a ter uma representação formal no Norte Pioneiro”, completa. Uma chapa única concorre à eleição na sexta-feira e o candidato à presidente é o empresário Kleyton Smentkoski, que participa das reuniões da governança desde o início.

Segundo Smentkoski, a formalização era uma das etapas do planejamento previstas para este ano. “O foco é fortalecer o sistema por meio de uma associação e ter uma entidade que o represente”, explica. Ele afirma que teve o nome indicado pelos colegas para o desafio de iniciar o trabalho, mas diz estar tranquilo. “Sei que temos uma equipe forte trabalhando continuamente”, justifica.

Na avaliação de Valmir de Araújo, que representa a Associação Comercial e Empresarial de Jacarezinho (Acija) no SRI, entre as vantagens da formalização está o fato de o sistema ganhar representatividade junto aos setores público e privado. Isso contribuirá para a busca de apoio governamental e institucional, segundo ele.

Para o analista de desenvolvimento tecnológico do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) Campus Jacarezinho, Luciano Gilberto Bernardes, a formalização será um marco na trajetória do SRI, que foi criado com o objetivo de transformar o Norte Pioneiro. Ele lembra que, mesmo sem um CNPJ, o grupo já conseguiu que startups da região recebessem apoio do governo estadual para acelerar suas ideias de negócios.