PM intensifica policiamento ostensivo em Jacarezinho

Uma ação para coibir novas ondas de furtos e ainda solucionar crimes já cometidos seria uma operação conjunta no estilo AIFU

O 2º BPM intensificou o policiamento ostensivo em Jacarezinho (Jivago França)

O 2º Batalhão de Polícia Militar com sede em Jacarezinho intensificou o policiamento ostensivo no município e irá reforçar ainda mais a segurança com a chegada das festas de fim de ano, em que o comércio permanece aberto em horário estendido. Já há algum tempo, além das duas equipes de Rádio Patrulha e Rotam, a cidade de Jacarezinho conta também com uma unidade de módulo móvel para atender locais específicos, preventivamente, como a feira livre e regiões bancárias.

O módulo móvel começou a ser utilizado por determinação do comandante do 2º BPM, tenente-coronel José Luiz de Oliveira. Segundo ele, dois policiais do serviço administrativo foram destacados para atender a população no módulo em datas e locais específicos. “É mais ostensividade e um policiamento preventivo”, disse. Além das equipes já em atuação, os policiais da Agência Local de Inteligência (ALI-P2) intensificaram os trabalhos na apuração de crimes para ajudar solucioná-los.

O tenente-coronel Oliveira falou sobre alguns detalhes que a população precisa estar atenta para evitar se tornar vítima de crimes de furtos e roubos. “Não esquecer carros com vidros abertos, nem em locais ermos (escuros, sem movimentação). Quando estiver nas lojas, as mulheres não podem descuidar das bolsas e deixar em balcões, isso facilitaria para um eventual crime”, disse.

Outro conselho do tenente-coronel é nunca frequentar bancos sozinho, principalmente em horários de menor movimento ou quando precisar sacar maiores valores. “Época de férias preocupa. Muitas casas ficam vazias, o que chama atenção dos bandidos”, destaca. Segundo ele, é aconselhável deixar algum parente ou amigo para cuidar da casa, se tiver câmeras, que elas realmente funcionem, não sejam apenas para enfeite. Outro erro é deixar luzes acesas durante o dia.

Vizinho solidário

Uma ação proposta pelo comandante é a instalação do projeto Vizinho Solidário. Segundo ele, quando atuou na região de Londrina, o projeto ajudou solucionar vários crimes. A ideia é criar um grupo no aplicativo Whatsapp entre os vizinhos da mesma rua, para quando suspeitarem de algo errado avisar a polícia. “Cada um cuida do outro e assim todos cuidam de todos”, salienta.

O comandante afirmou ainda que em um dos locais onde o projeto estava em funcionamento quando ele atuou na região de Londrina, os casos de furtos no bairro praticamente acabaram. “Quase zerou onde foi implantado”, assegura. Para que o projeto de certo, um conselho do tenente-coronel é que as associações de bairros também se mobilizem.

Ele garantiu ainda, que a Polícia Militar por meio do 2º BPM dará todo apoio e dicas necessárias caso algum grupo de vizinhos pretenda colocar em prática o projeto. “Procure o nosso Setor de Comunicação que daremos todo apoio. Faremos reuniões para tirar dúvidas e dar conselhos”, orienta o oficial.

Furtos

Ainda conforme o comandante do 2º BPM, uma ação para coibir novas ondas de furtos e ainda solucionar crimes já cometidos seria uma operação conjunta no estilo AIFU (Ação Integrada de Fiscalização Urbana). “Poderia haver uma operação conjunta preventiva entre a Polícia Militar, Polícia Civil, Prefeitura e Receita, onde cada um faz sua função de fiscalização”, disse. Ainda segundo Oliveira, a P2 do 2º BPM trabalha constantemente para tentar identificar autores de crimes cometidos na cidade. “É ideal que a Polícia Civil identifique os pontos de receptação”, disse.

Outra ação para coibir os furtos, de acordo com o oficial, é a população evitar comprar produtos de origem duvidosa. “Quem for comprar em sites de vendas e redes sociais, evite comprar produtos muito abaixo do preço de mercado, sem procedência. É sempre duvidoso um produto ser vendido num valor bem abaixo do preço que vale. As pessoas que fazem essas compras podem ser enquadradas por receptação, cuja pena varia entre 1 e 4 anos de reclusão”, alerta o comandante.

O furto simples tem pena de 1 a 4 anos também, mas se for cometido no período noturno tem agravante de 1/3, segundo o tenente-coronel. Já o furto qualificado a pena é maior, de 2 a 8 anos de reclusão. Já o estelionato, outro crime bastante cometido por pessoas mal-intencionadas tem pena de 1 a 5 anos de reclusão.

Natal

Além das atividades rotineiras dos policiais do 2º BPM, a Operação Natal terá início nesta sexta-feira (30) para intensificar ainda mais o patrulhamento nas áreas de maior movimento, e a partir do dia 12 de dezembro no comércio local, que ficará aberto com horário estendido até às 22 horas. O lançamento da operação acontecerá às 14 horas na praça Rui Barbosa.