Rede municipal retoma as aulas no dia 11 de fevereiro

Alunos da rede estadual voltam às aulas somente no dia 14 de fevereiro

Na rede estadual, um milhão de alunos volta às aulas no dia 14 de fevereiro FOTO: Antônio de Picolli

A rede municipal de ensino de Santo Antônio da Platina retoma as atividades escolares no dia 11 de fevereiro. Retornam às aulas, neste período, estudantes do Ensino Fundamental e dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis). Para os professores, o retorno acontece antecipadamente, afinal, entre os dias 5 e 8 de fevereiro ocorre a Semana Pedagógica – que tem por finalidade qualificar e orientar os profissionais para mais um ano letivo que se inicia. A Secretaria de Educação não soube precisar, no entanto, o número total de alunos que voltam às aulas porque ainda estão em fase de matrículas.

Já na rede estadual de ensino do Paraná, as atividades escolares se iniciam no dia 14 de fevereiro para um milhão de alunos matriculados. Os 100 mil profissionais dos estabelecimentos de ensino retornam um pouco antes, também, para participar da Semana Pedagógica nos dias 7, 8, 11 e 12 de fevereiro.

No calendário anual estão previstos dois dias de planejamento e outros dois de formação para todos os servidores da Educação. O primeiro semestre termina no dia 12 de julho, e as aulas do segundo semestre começam no dia 29 do mesmo mês, totalizando duas semanas de férias para os estudantes no meio do ano. O último dia de aula na rede estadual será 19 de dezembro. Os Núcleos Regionais de Educação farão adaptações necessárias nos calendários das escolas devido a feriados municipais e situações pontuais, e homologarão os calendários.

MATERIAL ESCOLAR – O preço do material escolar, como todo início de ano, pesa no bolso consumidor. Os preços exorbitantes de alguns produtos são reflexos das taxas elevadas de impostos. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a pedido da Associação Comercial de São Paulo, os impostos no material escolar chegam a quase 50% do valor do produto.

No topo do ranking está a caneta, com carga tributária de 49,95%, seguida por calculadora 44,75%, régua 44,65%, tesoura 43,54%, agenda escolar 43,19%, cola branca 42,71%, estojo para lápis 40,33% pastas 39,97%, lancheira 39,74% e mochila 39,62%. Os materiais de uso no cotidiano também não estão longe dessa estatística, a carga tributária do lápis é de 34,99% e da borracha 39,29%.

Diante disso, a recomendação do Procon/PR e especialistas é pesquisar os preços nas papelarias para evitar o rombo no orçamento familiar – justamente porque a época coincide com matrículas escolares, IPVA (Imposto sob Veículo Automotor) e IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).