Prefeito não sanciona reajuste dos servidores e causa apreensão

Reajuste de 3,75% para o funcionalismo público foi aprovado pela Câmara de Vereadores na segunda-feira (25)

Funcionários municipais temem que reajuste de 3,75% não seja sancionado Crédito: Divulgação

O clima entre os servidores municipais de Jacarezinho é de apreensão, após o prefeito Sérgio Eduardo de Faria, o Dr. Sérgio (DEM), não sancionar o reajuste salarial de 3,75% aprovado pela câmara de vereadores na segunda-feira (25). Havia a expectativa inicial de que o reajuste entrasse em vigor já no próximo pagamento, que deve acontecer nesta sexta-feira (29). Entretanto, o prefeito saiu em viagem para um compromisso oficial e não assinou o reajuste.

A reportagem da Tribuna do Vale ouviu dois servidores que aceitaram conversar na condição de anonimato. Segundo eles, o reajuste é abaixo do esperado e agora existe a dúvida se realmente será sancionado. “Sabemos da dificuldade da prefeitura com relação à arrecadação e a folha salarial, mas o reajuste está abaixo do que seria o valor justo, e agora ficamos sabendo que o prefeito não assinou, sendo que o percentual de 3,75% foi uma proposta dele mesmo. Eu estou preocupado e todos que trabalham também estão. A maioria tem família e conta com esse reajuste”, revela um dos servidores entrevistados.

“Acho que existe um pouco de descaso. Não custava ele assinar o reajuste para nós recebermos um valor um pouco maior já no próximo pagamento. O prefeito tem dado sempre reajuste para os servidores e alguns foram bons, mas dessa vez acho que ele pisou na bola com todos nós. Fora que isso deixa todo mundo apreensivo e gera esse falatório de que há possibilidade de não ser sancionado”, reclama o outro servidor ouvido.

Entretanto, segundo apurado, é provável que até o próximo mês o reajuste seja incorporado, incluindo o pagamento retroativo dos vencimentos desde o mês de janeiro deste ano. Uma das explicações plausíveis para o adiamento da sansão do reajuste seria a despesa excessiva do município com folha de pagamento – em outubro do ano passado a prefeitura de Jacarezinho foi advertida pelo Tribunal de Contas do Estado por gastar 54,95% de tudo que arrecada com salários, quando o limite é de 54%.

Além do prefeito, o chefe de Gabinete, Américo Alves Pereira, está igualmente em viagem. A reportagem também não conseguiu contato telefônico com ambos.

DEMORA “ESTRANHA”

O presidente da câmara de vereadores de Jacarezinho, Fúlvio Boberg (MDB), mostrou estranhamento com a situação. “É estranho, até porque o percentual do reajuste foi proposto pela prefeitura, e aprovado pela câmara. Infelizmente hoje a prefeitura não tem condição de dar um percentual maior, mas acredito que esses 3,75% serão incorporados pelo prefeito. A parte dos vereadores foi feita, agora cabe ao Executivo colocar em prática, o que espero que aconteça o mais rápido possível para não prejudicar os servidores”, pontua.