PC abre inquérito para investigar padrasto acusado de abandonar criança em rodovia

Caso aconteceu na tarde de sexta-feira na BR-153; menino andou 4 km a pé para pedir socorro

O delegado Rafael Guimarães, titular da 38ª Delegacia Regional de Polícia de Santo Antônio da Platina, instaurou inquérito para investigar Luiz Guilherme Gonçalves Maciel pelo crime de abandono de incapaz (artigo 133 do código penal). Ele é acusado de abandonar o próprio enteado – um menino de apenas 10 anos – na tarde de sexta-feira (15), na BR-153, no perímetro urbano do município.

De acordo com os conselheiros tutelares Rosemary Alcântara Bertolini e Anderson Luiz dos Anjos Costa, a criança e o padrasto viajaram de Ibaiti para Santo Antônio da Platina à procura da mãe do garoto, Helen Maciel, que teria sido transferida para o Hospital Regional do Norte Pioneiro em consequência de suposta violência doméstica praticada pelo companheiro. Contudo, os parentes foram informados que a paciente não se encontrava internada na unidade e decidiram retornar para Ibaiti.

Ainda de acordo com os conselheiros tutelares, o carro da família teria quebrado na BR-153 e o padrasto abandonado o menino na estrada após uma discussão entre os dois. A criança caminhou sozinha por cerca de quatro quilômetros até o Auto Posto Platina, onde pediu ajuda aos funcionários. Ele foi levado pelos conselheiros tutelares até a sede do órgão e depois à 4ª Companhia de Polícia Miliar, onde foi registrado um boletim de ocorrência. Em seguida, o menino foi levado para Ibaiti.

O delegado disse que vai ouvir os conselheiros tutelares e os policiais militares envolvidos na ocorrência, e que o acusado será interrogado em Ibaiti. Guimarães também solicitou imagens do sistema de segurança do posto para confirmar a versão da criança.

Advogado nega acusações

Na manhã de domingo (7), o advogado Tiago Freitas Siqueira fez contato com a redação apresentando-se como defensor de Luiz Guilherme Gonçalves Maciel. Ele negou a versão da criança aos conselheiros tutelares (sobre supostas agressões de Maciel contra a mãe do menino e o abandono da criança na rodovia), e disse que a Helen Maciel foi internada em Ibaiti por entrar em trabalho de parto. O advogado, no entanto, não quis manifestar a versão de seu cliente para os fatos narrados pelo enteado.